sábado, 2 de março de 2013

Luiz Soares, 10 anos.


Dia 3 de março. Faz 10 anos que meu pai, Luiz Soares, nos deixou. Como o tempo passou depressa! A saudade é uma coisa que não acaba, só faz aumentar. É impossível nos acostumarmos. 
Sentimos muito mais falta dele hoje do que antes.

Viajando por este querido Brasil, ainda hoje encontro pessoas que se emocionam ao saber que sou seu filho. Eles contam a influência e o impacto que a vida dele causou por ele passava. Ouço testemunhos de conversas encorajadoras, de “broncas” que deram resultado, de mensagens inspiradoras que ouviram. . De ligações telefônicas que ele fez a muita gente que passava por momentos de dor ou confusão.  Perdi a conta de quantas pessoas me contaram que se converteram ao ouvi-lo pregar. Sim, claro: Deus é quem faz a obra e recebe a glória. Ele foi apenas um instrumento. Mas que instrumento afiado!

O engraçado é que muitos esperavam que eu fosse como ele. Mas como? O homem compunha, escrevia, falava seis ou sete idiomas, corrigia teses de mestrado (embora ele mesmo não tivesse ido além do grupo primário), cantava, pregava ensinando ou evangelizando, era um pastor, conselheiro e líder.  É demais para mim; já me contentaria em seguir seu exemplo e sua referência de caráter, de homem coerente com suas ideias e princípios. Como eu disse outra ocasião, você podia até discordar do que ele pensava, mas sabia exatamente o que ele pensava. Ele não tinha um discurso adaptável a cada congregação ou público. Eu presenciei ocasiões em que o tentaram manipular com um talão de cheques. Sua resposta foi tão desconcertante que deu até dó...

Sei que ele não foi um homem perfeito, como nós todos não somos. O bom é que não é preciso ser perfeito para ser um modelo digno de ser imitado. Aqueles que o conheceram bem (não apenas de cima de um púlpito, mas no dia-a-dia) sabem do que estou falando.

Sei que no paraíso não há choro; não sei se há risadas. Se houver, quase posso ouvir as gargalhadas do meu pai – sua marca registrada – conversando com tantos de seus amigos e amigas que já partiram para a eternidade. Imagine a festa que fazem por lá! Será que vão pedir para eles rirem mais baixo??

Acima de tudo, posso imaginar com que paixão e encanto ele conversa com o Salvador e Senhor a quem ele amou e serviu tão intensamente. Nada neste mundo fazia o coração do meu pai bater tão forte quanto conhecer melhor a Cristo, a quem escreveu versos e canções, livros e mensagens e a quem dedicou toda sua vida.

Tive o privilégio de ter um grande pai. Louvo a Deus por sua vida.  Como um daqueles que completaram vitoriosos a carreira da fé, Luiz Soaresdepois de morto, ainda fala”.

A Deus toda a glória!

13 comentários:

  1. Mano, sei que deve ser difícil passar por esse dia 3 de março. Seu pai deve fazer muita falta em sua vida. Mas, como você disse, por onde andou ele deixou sua marca. Que Deus continue abençoando você e sua família. Logo logo todos estaremos junto com ele e os outros santos. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Eu sou um deles, e as vezes me cobro muito o fato de estar tão perto dele aqui em Piracicaba, e ter aproveitado tão pouco as oportunidades de "sugar" os ensinamentos e experiencias deste tão grande servo do Senhor. Mas fico orgulhoso e feliz por ter feito parte daqueles que proximo dele conviveram. Eu soum deles... Um grande abraço Marcos,D. Hacy e irmãs.
    ZECA SANTOS.
    2 de março de 2013 15:42

    ResponderExcluir
  3. Louvo a Deus pela oportunidade de conhecer o tio Luiz fora do púlpito; louvo a Deus pelas broncas que levei dele, inclusive as que foram dadas em público; louvo a Deus por ter ouvido ele tantas vezes do púlpito, também.
    Apesar de estar distante quando da sua partida, a saudade é imensa, mas, também penso na alegria que ele teve ao ver de perto o Seu Senhor e Salvador.
    Oro por vocês. Que Deus lhes dê a graça e a esperança bendita de reencontrá-lo na Glória. Enquanto isso não acontece, continuamos juntos na nossa caminha aqui.
    A Deus, toda a Glória.

    ResponderExcluir
  4. Para mim ele era como um pai, pois me tratava com tanto carinho que era assim que o via.Ele me chamava de filhinha.Ele foi uma bençao para mim trazendo os seus ricos conselhos.Penso nele com saudades, mas com alegria de ter vivido grandes experiências ao seu lado.

    ResponderExcluir
  5. Querido ir. Luiz Soares, qtas saudades... Como este ir. foi usado por Deus no seu ministerio de ensino nas igrejas de todo nosso Brasil.
    Gerson Martins de Assis-Gov. Valadares-MG

    ResponderExcluir
  6. Daniel de Almeida Jané4 de março de 2013 08:05

    É Marcos... a pergunta fica e não conseguimos resposta... Será que conseguiremos repor as fileiras, hoje vazias, dos homens de Deus que já partiram???? Homens esses com o quilate do tio Luiz!!!! De qualquer forma, sabemos que Deus supre e capacita para o Seu trabalho. Tanto o tio Luiz quanto outros que nos deixaram exemplos para seguirmos. A pergunta é?? Estou disposto a enfrentar o que eles enfrentaram? Ser muitas vezes contrário a correnteza? Irredutível e não ceder às pressões ou a relatividade de conceitos e costumes? Deus me ajude na minha ignorância e teimosia a me deixar ser afiado por Ele para que, eu e muitos outros homens de Deus, sejamos instrumentos valiosos para o Seu serviço, tal qual foi um dia o tio Luiz. Marcos, tia e primas, também temos saudades dele, do que ele foi para nós e para nossa família. Esforcemos por imitar, como você falou, apenas uma pequena porcentagem, o que já será de grande valor. Abraços a todos.
    Seu irmão, Daniel de Almeida Jané.

    ResponderExcluir
  7. Eu não o conheci, mas lendo o que a sua família escreve e compartilha da Palavra de Deus, sem dúvida, ele contribuiu muito para semear as Boas Novas e o viver na presença do Pai. Família Soares, vocês são uma benção na minha vida!

    Eliel, Madri, Espanha

    ResponderExcluir
  8. A Deus toda honra e glória por seu pai Marcos!

    ResponderExcluir
  9. O Tio Luiz era exatamente como vc descreveu, vendo a foto dele me deu amaior saudade,
    ab

    ResponderExcluir
  10. Que Deus abençoe vcs. Ele era bravo, mas era sincero e amoroso...

    ResponderExcluir
  11. O legado de seu pai não foi perdido, mas repercute, hoje, em sua família e ministério.
    Que bom saber que a semente lançada frutificou, e está dando fruto, 1:10; 1:100 e 1:1000.
    Parabéns, meu amigo!

    ResponderExcluir
  12. Poucos meses antes de falecer o Irmão Luiz Soares esteve em minha casa e conversamos a tarde inteira! Foi uma conversa agradável e franca que fez muito bem a minha alma.
    Ele veio e ainda trouxe um poema para a Layla que estava com poucos dias de nascida.
    Lamentei sua partida, ainda mais por ter ele partido logo no início do estreitamento da nossa amizade.

    ResponderExcluir

Não publicaremos mais comentários anônimos. Favor se identificar.